Tesouro Direto x debêntures - Daniel Nigri (Site Dica de Hoje)

Tesouro Direto x debêntures – Daniel Nigri (Site Dica de Hoje)

Tesouro Direto x Debêntures

Eu tenho recebido alguns e-mails de pessoas que vem me perguntando se com a queda do CDI, não vale a pena investir em debêntures, CDBs, LCAs, LCIs, ou qualquer outra espécie de Renda Fixa. Normalmente as pessoas olhando apenas a rentabilidade que aquelas debêntures possam gerar acabam observando quanto elas podem pagar a mais que o tesouro direto e pensam em investir nelas.

Esta semana recebi um email de uma das apoiadoras que estava interessada em sacar seu dinheiro do Tesouro IPCA 2026 e investir nesta debênture da Supervia que aparece na tabela abaixo que está rendendo IPCA + 7,2% ao ano com vencimento parecido em 15/11/2026. E me perguntou se era uma boa.

 

tesouro-direto-x-debentures-01

 

Como vocês sabem eu abri um grupo novo de apoiadores de Whatsapp com direito a participar de um grupo comigo e com direito a participar de um hangout por mês. O próximo será no dia 27/06/2017 as 21:00. Mais informações aqui.

 

Antes de prosseguir, eu preciso fazer algumas considerações: As debêntures não possuem garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), portanto você passa a ter o Risco do Emissor, neste caso, o risco da Supervia. Essa debênture é uma debênture incentivada, portanto possui isenção de Imposto de Renda, mas ela é apenas para investidores qualificados.

Sempre que eu analiso debênture ou qualquer ativo de Renda Fixa eu me preocupo com três fatores principais:

  • Prazo de vencimento da debênture
  • Risco de não recebimento (incluindo aí juros e amortizações intermediários)
  • Spread (diferença) entre a taxa de pagamento da debênture e do Tesouro Nacional.

 

Vamos analisar esta debênture de Supervia por exemplo

O Prazo de vencimento da debênture é importante, porque quanto mais distante o prazo, mais difícil fazermos uma análise sobre qual será a liquidez e solvência da empresa no futuro. Dificilmente algum analista poderá prever com exatidão as condições de Supervia em 2026.

Para se livrar desse problema a empresa colocou juros semestrais a partir de 15/05/2015 e amortização semestral a partir de 15/11/2018.

Qual a diferença entre juros e amortização?

Imagine que você contratou um empréstimo no banco de R$10000,00 com uma taxa de 3% ao mês. E que você irá quitar o empréstimo em 5 meses com amortizações constantes de R$ 2000,00 cada.

Ao fim do primeiro mês, o seu saldo devedor é R$ 10000,00 + 3% (R$300,00), o que totaliza R$ 10300,00. Portanto o seu pagamento no primeiro mês será: parcela de amortização R$ 2000,00 (o que efetivamente você está pagando do empréstimo), além de R$ 300,00 de juros (custo por ter pego o dinheiro emprestado). Totalizando R$ 2300,00.

No inicio do segundo mês seu saldo devedor será de R$ 8000,00. Fazendo contas semelhantes teremos juros decrescentes de R$ 240,00, R$ 180,00, R$ 120,00 e R$ 60,00 nos meses subsequentes e parcelas de R$ 2000,00 acrescidas desses juros.

Voltando para a debênture.

Veja que essa amortização reduz o seu risco na debênture, afinal se a empresa falir em 2023, por exemplo, você já recebeu várias parcelas de amortização além dos juros. Até por isso a empresa consegue emitir uma debênture tão longa.

O segundo item que eu sempre olho é o risco de não recebimento, e este nós temos que analisar com mais calma.

A melhor forma de começarmos a análise é observando o Rating da Empresa e lá vemos um A+. O que em minha opinião é um risco médio, segundo a Fitch, a tabela abaixo mostra as primeiras graduações de Rating das agências de Risco.

 

tesouro-direto-x-debentures-02

 

Apenas por essa tabela, o investidor pensará que vale a pena correr o risco, mas então fui ao site da Supervia, e peguei suas informações trimestrais para analisar. Vejam que a partir de agora, a análise irá se assemelhar muito com a análise de ações. Eu irei calcular indicadores de dívida da empresa, e sua possibilidade de geração de caixa e pagamento de juros.

Antes disso, vale a pena ver quem é o controlador da empresa e chegamos a este nome retirado do site acima.

 

tesouro-direto-x-debentures-03

 

Hoje, eu não posso garantir nada, nem quero julgar a empresa antecipadamente. Minha única preocupação é com o seu dinheiro que me lê, e com o dinheiro da pessoa que me escreveu o e-mail. A chance de ter problemas da Odebrecht na lava-jato são grandes e aí seria o seu dinheiro que poderia estar com problemas.

Não existe nenhum problema você entrar em um investimento de risco sabendo os riscos que você está correndo.

Agora vamos a análise mais pragmática e financeira, toda ela retirada do site de RI da empresa.  Desculpa não colar as fotos como eu faço normalmente, mas ficariam ilegíveis.

Primeira coisa que me chama a atenção no Balanço Patrimonial, é um Caixa baixíssimo. Apenas 3,296 milhões de reais. O total do ativo circulante é de 237 milhões de reais contra R$ 263 milhões de passivo circulante. Isto é, a empresa possui mais obrigações de curto prazo que ativos para honrar essas obrigações. A necessidade de tomar empréstimos para capital de giro que costuma ser um crédito mais caro é muito grande. Ma cabe ressaltar que essa diferença reduziu significativamente de 2015 para 2016.

A dívida bruta total da empresa hoje é de R$ 1,385 bilhão de reais sendo apenas R$ 67 milhões de reais de curto prazo e o restante de longo prazo. O que mostra que a necessidade de cobertura de juros no futuro será maior que hoje em dia. Em contra-partida, o serviço da empresa é um monopólio, que tem uma receita que é regulada e aumenta de acordo com o que o órgão determina. Assim, ela não tem liberdade para estipular a tarifa que daria maior lucratividade a seu negócio. Veja a tabela abaixo do cronograma do vencimento das dívidas.

tesouro-direto-x-debentures-04

 

E aqui nós encontramos a debênture em questão na próxima tabela. Vejam que quando ela foi emitida ela pagava IPCA + 7,50% ao ano. Portanto, quem comprar hoje no IPCA + 7,20% estará pagando um ágio.

tesouro-direto-x-debentures-05

 

 

  Alguns indicadores importantes da empresa são:

Dívida Bruta / Patrimônio Líquido = 1384852 / 174547 = 793,39%

A dívida representa quase 8 vezes o patrimônio líquido da empresa. Que inclusive neste patrimônio líquido tem prejuízos acumulados de R$ 184 milhões de reais. Já começa a ficar mais claro porque ela paga tão mais que o Tesouro Direto!! Mas cabe ressaltar que a empresa gerou lucro líquido no exercício de 2016. Talvez seja esse o motivo que a taxa caiu de 7,5% + IPCA para 7,2% + IPCA e o rating tenha ido pra A+.

Dívida Líquida / Ebit = 1381556 / 157162 = 8,79.

Normalmente seria um valor muito alto para a empresa. Quando passa de 3,5 x eu já na gosto. Mas no caso dessa empresa vemos que ela conseguiu alongar bem a dívida dela e que a previsão é de gastar em torno de 99,8 milhões de reais por ano. Portanto, essa geração de lucro operacional é suficiente para quitar os valores, pelo menos até 2022, caso não seja necessária nenhuma nova captação para novos investimentos.

Como vocês podem ver, existem pontos bons que indicariam compra, e pontos ruins que indicariam pra não comprar de forma alguma. O mais importante é entrar conhecendo os riscos e sabendo que as melhoras nos resultados da empresa já foram incorporadas na taxa atual da debênture.

       O terceiro ponto que eu citei acima é o spread em relação ao tesouro direto.

Eu falo isso, porque em escala Nacional, o Tesouro é o Rating AAA. Ele é a autoridade monetária que tem a menor chance de quebrar no país. Então, o Tesouro, deve sempre pagar menos que as empresas e os bancos.

Hoje, o título IPCA + 2026 com juros semestrais que se assemelha a debênture está pagando IPCA + 5,53 de acordo com o site oficial, clique aqui.

Imaginando um IPCA no período todo de 4,50%, teríamos um ganho anual de 1,0553 x 1,045 = 1,1028 ou 10,28% ao ano. E como a debênture é incentivada e livre de Imposto de Renda e o Tesouro Direto paga IR vamos abater a alíquota de 15%, mesmo sabendo que os primeiros cupons de juros pagarão taxas maiores. 10,28% – 15% = 8,738%.

A debênture da Supervia, pagaria hoje 7,2% + IPCA = 1,072 x 1,045 = 12,02%. Ou seja, se tudo der certo, e o valor for pago a debênture pagará 12,02% contra 8,738% líquido de Imposto de Renda do Tesouro.

A resposta final vai do apetite de risco de cada um. Você correria o risco Odebrecht + dívidas altas por mais 9 anos, pra aumentar sua aposentadoria em mais 3% ao ano? Se tudo correr bem, certamente fará diferença no futuro. Poste nos comentários a sua opinião.

Como vocês viram, é possível investir em debêntures, mas essas que pagam mais, normalmente têm problemas atrelados. Mesmo com ratings, que em tese são altos e bons. Por isso, eu sempre recomendo, para a parcela de Renda Fixa, alocar grande parte na segurança do Tesouro Direto. E para isso, eu recomendo esses cursos: Carteira Rica, e Tesouro Direto para Principiantes.

Abraços e até a próxima.

Bons Negócios

 

Daniel Nigri     Analista CNPI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *