Planos de fidelidade (milhagem) de companhias aéreas: fiquem de olho!

Planos de fidelidade (milhagem) de companhias aéreas: fiquem de olho!

Fiquem de olho nos planos de milhagem das companhias aéreas. Eles se deterioram muitos nos últimos seis anos.

Apenas a título de exemplo, em 2009, consegui viajar para os EUA com 40 mil pontos na baixa temporada. Hoje, estão pedindo de 100 mil a 120 mil pontos para a mesmo período.

Fazer as contas com calculadora ou no papel é mais importante, ainda, quando as instituições financeiras te oferecem a venda de produtos (ex: geladeira) com a milhagem. Você costuma pagar por duas geladeiras com seus pontos, em alguns casos.

Lélio alerta para a deterioração do uso de planos de fidelidade nos últimos cinco anos. Ele cita as dificuldades de uso dos pontos de milhagem pelas companhias áreas na atualidade. Para ele, devem ser observados: preços, paradas, tempo nos aeroportos etc e não só apenas se a sua demanda se encaixa no plano.

Ele cita um estudo publicado no livro “Contágio”, Editora Leya, 2014, escrito por um professor americano, que defende a tese que os planos de milhagem são péssimos para os consumidores.

Lélio alerta, ainda, para o descompasso na conversão dos pontos. Eles valem pouco na mão do consumidor e muito na hora que as companhias os vendem. E que, em muitos casos, a conversão para compras de produtos é, também, péssima para o consumidor, que, eventualmente, paga muito mais caro por um produto (ex: geladeira, fogão, etc etc) nessa conversão.

Então, fiquemos atentos com esse planos de milhagem, pois, alguns são verdadeiras “canoas furadas”.