Netos e bisnetos de Niemeyer, ‘os sem mesada’, disputam herança minguada

shutterstock_99455861

Acordei de manhã e li a matéria acima na Folha de São Paulo sobre como estão vivendo os herdeiros do arquiteto Oscar Niemeyer, falecido aos 104 anos (e que estava ainda ativo na profissão) em 2012.

Conheço diversos casos de pessoas que, mesmo em idade avançada, sustentam adultos, que podem trabalhar, mas preferem viver de mesadas irreais que os avós ou bisavós proporcionam.

Bem, todo mundo sabe o que acontece nesses casos após o falecimento do provedor.

As pessoas que passaram anos (ou décadas) só consumindo de forma não sustentável, não desenvolveram comportamentos financeiros frugais, ficaram fora do mercado de trabalho e não acompanharam a sua evolução, quando sofrem um baque na perda de renda abrupta, não conseguem se adaptar a essa nova realidade. E os resultados são sinistros.

Na maioria dos casos, viveram padrões de consumo insustentáveis ao longo de longos períodos e acabam por ter uma queda abrupta de rendimentos e, como não se prepararam, chegam a ter uma diminuição de até 90% do seu “padrão de vida”. Gente que era rica até vinte anos atrás, hoje está correndo atrás de um salário mínimo para sobreviver ou vivendo de favor de parentes e amigos próximos.

Fique atento com essas experiências negativas e não caia nessas armadilhas financeiras. Comece a construir o seu futuro ainda hoje.

Você já parou para refletir como estará financeiramente daqui a vinte anos ? O momento de pensar (e começar a se preparar) é agora. Não sabemos o nosso futuro, mas podemos tentar construir “redes de proteção” para a nossa vida. Fique atento com isso.

O dinheiro não aceita desaforo.

Obs – O exemplo da matéria acima da FSP pode ocorrer com todos nós e não implica nenhum juízo de valor sobre a situação vivida por 60,4% das famílias brasileiras (dados da CNC).

Um comentário sobre “Netos e bisnetos de Niemeyer, ‘os sem mesada’, disputam herança minguada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *