Golpe da formatura: 10 dicas para comissões e demais formandos

Golpe da formatura: 10 dicas para comissões e demais formandos (Prevenção é tudo)

Golpe da formatura

Infelizmente, o estelionato é um crime que a punição no Brasil ainda é muito branda. Pessoas dão golpes Brasil afora, não recebem uma pena adequada e acabam aproveitando “brechas legais” para lesar consumidores em série.

E um dos calotes comuns é o conhecido “golpe da formatura”.

Neste tipo de estelionato, as empresas recebem durante meses ou anos dinheiro dos formandos para festas de formatura e desaparecem, em muitos casos, poucas semanas antes do evento, causando grande prejuízo para os envolvidos.

Algumas dicas que podem ajudar a prevenir problemas com golpes de formatura:
  1. Escolha para a comissão de formatura pessoas capazes de agir se algo der errado e não incentive a formação de “panelinhas” nessas equipes. Colocar pessoas despreparadas nessa comissão é dar chance para o azar. Caso haja algum problema, como elas estão representando os formandos, elas poderão ter que tomar medidas judiciais urgentes para resolver problemas. Busque gente moderada e capaz.
    2. Busque contratar empresas com referências concretas e desconfie de preços destoantes dos praticados pela média no mercado. Preços baixos demais, podem gerar a inexecução contrato por serem inviáveis na prática de serem praticados.
    3. Nunca assine nenhum contrato da comissão de formatura sem consultar um advogado de confiança. É um dinheiro que não deve ser considerado uma mera despesa, mas um investimento em segurança. Cuidado com a inserção pela empresa de cláusulas abusivas, que podem prejudicar muito os direitos dos formandos.
    4. Verifique se a empresa ou os sócios estão sendo objeto de reclamações em fóruns, sites especializados de defesa do consumidor e nas redes sociais.
    5. Após assinatura do contrato, exija o cumprimento integral das cláusulas nos prazos combinados. Caso comecem pequenos atrasos, fique de olho, pois pode sinalizar que a empresa esteja entrando em falência.
Mais dicas
  1. Verifique de tempos em tempos nomes dos sócios e da empresa nos sites do tribunais estaduais. Isso deve ser feito na comarca da sede da empresa e onde ela estiver atuando. Se houver ações judiciais questionando o descumprimento parcial do contrato, leve o caso imediatamente a um advogado de confiança.
  2. Verifique a solvência da empresa contratada de tempos em tempos. Faça varredura na internet de seis em seis meses e verifique se existem reclamações infundadas contra a empresa contratada. Se possível, faça “visitas surpresas” na sede da empresa de tempos em tempos para verificar de perto se a empresa está funcionando regularmente.
  3. Observe atentamente se a empresa de eventos está agindo com lealdade. Se a empresa demorar a responder consultas da comissão ou dificulta o atendimento de telefonemas, fique de olho, pois é um mal sinal. Priorize dialogar com a empresa por e-mail ou Wattsapp, pois facilitará a produção da prova se o caso for para  Justiça.
  4. Busque referências de tempos em tempos do andamento da empresa. Não faça isso apenas antes de assinar o contrato, mas procure saber quem são os fornecedores da empresa contratada e se eles têm informações atualizadas da empresa contratada. Se você descobrir “fornecedores” que não existem de fato, isso poder um sinal de golpe.
  5. Não pague tudo adiantado. Isso facilita a ação de estelionatários, que podem desaparecer de um dia para o outro e isso dificulta qualquer ação judicial posterior. Comprovado o golpe, procure imediatamente a Polícia e tome as medidas judiciais adequadas para proteger o dinheiro dos formandos.