Gente permanentemente endividada não gosta de Educação Financeira

Gente permanentemente endividada não gosta de Educação Financeira

Gente permanentemente endividada.

Todo mundo conhece aqueles casos de gente que vive endividada.

Não estou falando de situações de pessoas que ficaram eventualmente desempregadas, tiveram um problema na família ou, por algum caso isolado, ficaram endividadas.

Estou falando de gente que está endividada há 10, 15 ou 20 anos …

Há um caso na minha família, por exemplo, que a pessoa não juntou um centavo em duas décadas.

Ela não deve grandes valores, mas vive apertada por conta de dívidas com valores mínimos.

É gente que pula de empréstimo em empréstimo, gasta o décimo terceiro antes de cair na conta, tem vários cartões de crédito (com pagamento de anuidades absurdas) e adora comprar sem controle nenhum em lojas.

Assunto chato

Todas abordagens possíveis já foram oferecidas a essa pessoa.

Resumo as justificativas dessa pessoa (e de muitas outras) para o fato de “não terem tempo” ou “esse assunto é muito chato”.

Podemos entrar em uma situação de endividamento por diversos motivos, mas há pessoas que alegando ganharem pouco, por exemplo, se recusam a buscar a adoção de novos hábitos de consumo.

Qualquer pessoa que se recusar a refletir sobre os hábitos de consumo, cedo ou tarde, levemente ou com força, irá entrar numa situação de endividamento.

Parar de dever e reconhecer que possui hábitos negativos com o dinheiro não é uma mudança fácil.

Mudar comportamento não é algo simples de se fazer.

Mais fácil construir um prédio do que mudar o comportamento de um ser humano

Mas é possível !

Para tanto, deve se reconhecer inicialmente que está se autossabotando.

Quem não reconhece que são os próprios hábitos negativos financeiros, que  lhe prejudicam, não conseguirá adotar uma nova postura.

É preciso aceitar que (nesses caos) grandes mudanças se tornam necessárias.

Cada vez mais está claro que a aposentadoria pública futura da sociedade será em valores cada vez menores.

Comece a pensar nisso a partir de agora, para formar sua reserva financeira, ao longo de meses ou anos, para garantir uma qualidade de vida melhor para você  sua família.