Educação Financeiras nas Escolas: muito mais que palestras pra vender livros

Educação Financeira na Escola: muito mais que palestras pra vender livros

Educação Financeira na Escola.

A Educação Financeira na Escola é uma necessidade cada vez mais premente para a sociedade civil brasileira.

Com cerca de 60% de famílias brasileiras endividadas (CNC), é mais do que necessário (e urgente) que o assunto já seja abordado para prevenir situações de endividamento, já com as crianças e adolescentes.

O consumismo desenfreado tenta nos engolir.

Somos atingidos com dezenas ou até centenas de bombardeios diários de estímulos para comprar, comprar e comprar.

Jovem consumidor é alvo

O jovem, mal chega ao mercado de trabalho, e já é atacado pela máquina de guerra de marketing das gigantescas companhias telefônicas.

Elas oferecem aparelhos sofisticados, caros e “da moda”.

O jovem consumidor, que ainda nem possui capacidade de poupar (quanto mais de gastar), acaba iniciando a vida com uma dívida cara e desnecessária.

Por conta dessa violenta estratégia de marketing, em muitos casos, o jovem acaba se endividado para comprar um aparelho bacana, mas totalmente acima de suas reais condições de pagamento.

Por conta disso, tratar com efetividade do assunto Educação Financeira nas escolas não é um luxo.

É uma necessidade da sociedade para que essas pessoas sejam orientadas com informações adequadas.

Assim, elas poderão ter condições de chegar ao mercado de consumo com estratégias financeiras mais adequadas para a construção de uma vida financeira adulta equilibrada.

Educação financeiras efetiva para os alunos

Buscando reduzir custos, diversas escolas brasileiras incentivam palestras de educação financeira, as quais são realizadas por vendedores de livros.

Se por um lado, os vendedores de livro introduzem o assunto para dezenas ou centenas de alunos, acabam efetivamente apenas se limitando a vender esses livros.

Essas palestras isoladas servem, na prática, mais como um show e, pouco tempo depois, nem mais são lembradas pelos  alunos da escolas.

É preciso mais !

Educação Financeira nas Escolas

O governo federal, atento as reais necessidades das escolas, disponibiliza materiais gratuitos on line  para a população.

Diretores, pedagogos e professores, podem de forma integrada, com os materiais acima, introduzirem a Educação Financeira de uma forma sustentável.

Para acessar gratuitamente este material, clique AQUI.

Não se limite a promover palestras de vendedores de livros em sua escola.

Isso é muito superficial e não terá uma adesão mais profunda dos alunos.

Integração

Estude o conteúdos programáticos do programa de Educação Financeira, disponibilizado acima pelo governo federal, e incentive os professores a tratarem do assunto dentro de seus conteúdos programáticos.

O professor de matemática, por exemplo, ao tratar dos juros compostos, pode falar sobre investimentos.

Ele pode falar, ainda, como as dívidas podem crescer muito se os juros compostos são utilizados contra o consumidor (como na compra dos celulares caros citada acima).

Seus alunos vão ter acesso a conteúdos ricos.

Essa abordagem pelos professores, ao longo do ano, pode ser feita de forma sustentável no longo prazo.

Assim, eles contribuirão para uma sociedade civil mais reflexiva, com consumo equilibrado e mais responsável pelo futuro de nosso país.