Crowdfunding: como as “vaquinhas virtuais” ajudam a capitalizar boas ideias

Crowdfunding: como as “vaquinhas virtuais” ajudam a capitalizar boas ideias.

Um dos grandes obstáculos para os empreendedores é levantar dinheiro para capitalizar uma boa ideia.

Conseguir financiamento nos tempos atuais é uma situação cada vez mais distante para a grande maioria dos brasileiros.

Segundo uma notícia recente publicada no UOL Economia, o programa de milhagens Smiles lançou uma vaquinha virtual, para viabilizar a viagem dos sonhos sem dinheiro.

A ação chamou a atenção novamente para o tema do crowdfunding, mas o que é isso afinal?

Financiamento coletivo.

O crowdfunding, conhecido aqui no Brasil como “financiamento coletivo” ou “vaquinha virtual”, é uma reunião de forças múltiplas para se levantar dinheiro para um fim específico.

Nesse modelo, você cria um projeto de interesse coletivo e o coloca na internet, convidando as pessoas para o apoiarem com quantias que podem começar com valores mínimos até a um pagamento vultoso de suas necessidades.

Quem se interessa pelo projeto, ajuda com o que pode, mesmo que em alguns casos, seja apenas um real.

Centenas de pessoas estão procurando hoje, através de vaquinhas virtuais, financiamento coletivo na internet com projetos mais variados possíveis.

Alguns buscam recursos para desenvolver e imprimir livros de poesias, outros são músicos e buscam recursos para lançar um CD e outra pessoa fez um tour pelo país dando palestras de empreendedorismo para jovens.

Uma ONG busca criar um santuário animal com mais recursos e alguns jovens buscam criar um jogo de tabuleiro no estilo RPG.

Ainda mais: artistas buscam recursos para montar um espetáculo de teatro e amigos buscam ajuda financeira para custear o tratamento de saúde de uma pessoa, entre outros.

Projetos devem ser bem elaborados.

Não há limitações para se montar e buscar recursos financeiros para um projeto de financiamento coletivo.

Depende de ele atrair um número de interessados em contribuir com a causa.

Eles não mais necessitam estar geograficamente perto do empreendedor.

A ajuda pode vir do outro lado do país ou até do exterior.

Por fim, o financiamento coletivo também não é um remédio para todos empreendedores.

Se o projeto for bem elaborado, ético e conseguir tocar emocionalmente os colaboradores, ele pode ser uma ferramenta útil.

A qualidade do que se propõe a fazer e o engajamento de possíveis colaboradores pode ser mais uma opção realista para a implantação do seu sonho.

Exemplos.

Vakinha.

Apoia-se.

Kickstarter