Compulsão por compras (Oniomania) - O que fazer para tratar desse grave problema ? - Professor Roberto Jório Filho

Compulsão por compras (Oniomania) – O que fazer para tratar esse grave problema ? – Professor Roberto Jório Filho

Compulsão por compras (Oniomania) – Entrevista legal.

A compulsão por compras é um transtorno e a pessoa deve receber ajuda profissional.

Muitas pessoas não aceitam que possuem esse transtorno e acabam se envolvendo em situações financeiras muito negativas. É sobre isso que conversamos com o professor Roberto Jório Filho, do curso de psicologia da UNIVALE.

Roberto Jório Filho

Roberto Jório Filho, psicólogo – bacharel  e licenciado pela Universidade Gama Filho – RJ. Mestre em Ciências da Educação pelo Instituto Superior Pedagógico “Enrique José Varona”  de Havana – Cuba e pós-graduado em psicologia teórica com ênfase em Psicanálise e Psicologia Social; em Psicologia Jurídica; em Psicologia Clínica. Psicólogo Perito examinador de Trânsito.

FUNÇÃO ATUAL: Diretor presidente da CEMPSIM – Exames Médico e Psicológico (credenciada pelo DETRAN – MG). Professor e Orientador de estágios e monografias do curso de Psicologia da Universidade Vale do rio Doce – UNIVALE. Perito nomeado do Fórum da Comarca de Mantena e outras; Psicólogo da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Mantena – Coordenador da Atenção Básica à Saúde Mental. Representante da Sociedade Brasileira de Psicologia Jurídica no Estado de Minas Gerais.

1.Dr. Jório, toda compulsão para gastar dinheiro pode ser encarada como um transtorno ?

Dr. Lélio, em primeiro lugar gostaria de agradecer a oportunidade de ser entrevistado por você.

Antes de responder a sua pergunta vamos definir essa compulsão para comprar, ou seja, comprar sem parar, gastar mais do que ganha e ver a vida financeira descontrolada pode não ser apenas um problema de gastar além da conta.

Isso pode ser uma doença: a Oniomania (mania de comprar), um dos transtornos do impulso. Nesse caso seria um transtorno.

Isso não quer dizer que qualquer pessoa com uma quedinha por liquidações, ou que adora bater perna por aí, precisa de tratamento.

Apesar de os sintomas do transtorno serem sutis, eles existem, como explica a psicóloga Tatiana Filomensky, coordenadora do grupo de tratamento dos transtornos do impulso do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo.

O comprador compulsivo tem algumas características, ele apresenta arrependimento, mente, esconde, muitas vezes deixa a mercadoria na loja e passa para pegar depois. Enfim, ele tem um comportamento para encobrir a compra, porque tem culpa e em geral tem arrependimento. Muitas vezes se arrepende assim que sai da loja.

  1. Há pessoas que sofrem e só conseguem sentir prazer se estiverem comprando?

Sim. As compulsões, comportamentos compulsivos, são seguidas por alguma gratificação emocional, normalmente um alívio de ansiedade e/ou angústia. Nesse caso elas vão sentir prazer na compras devido ao alivio das tensões.

Muitas vezes também para suprir uma falta de algo que a pessoa nem se da conta e que está no inconsciente.

  1. Não existe também um pouco esforço dessas pessoas para mudar ?

Sim. Quando estão com muitas dividas, por orientação de pessoas próximas, etc. que começam a perceber o problema.

Ex. o sujeito compra um refil para usar numa máquina para fazer café, sem ter a máquina. Compra vários objetos com a mesma utilidade e assim por diante.

  1. Como pode se diagnosticar esse casos de transtorno de compulsão por compras?

O diagnóstico nem sempre é fácil, principalmente porque o ato de comprar não é condenado pela sociedade. Ao contrário. Consumir é algo estimulado e bem aceito pela nossa sociedade. Somos todos bombardeados e estimulados a comprar.

E como a doença está relacionada ao desejo é difícil mesmo de ser percebida, porque todo mundo consome, em geral já ficou desorganizado, ou está devendo, ou compra e deixa de usar. A grande diferença entre quem simplesmente compra de quem tem o transtorno é que o doente tem uma grande inquietação quando não pode comprar.

  1. Que tipos de intervenção podem ser tentados nesses casos?

Prevenção Primária: Eliminar os fatores individuais ou de meio que possam favorecer a oniomania (buscando o alivio dessas tensões de uma outra forma).

Prevenção secundária: Diagnóstico e tratamento do transtorno.

Prevenção Terciária: Reinserção do sujeito de forma satisfatória na sociedade ( Palestras e intervenção sobre educação financeira e outros.

  1. Todas pessoas com esses transtornos terão que ser medicadas ?

Nem sempre. Mas acreditamos que a Analise (Psicoterapia) associada ao tratamento medicamentoso (Psiquiatra) o resultado seria mais rápido (breve).

Obrigado !