Como ficar mais pobre: deixe dinheiro aplicado na Caderneta de Poupança no longo prazo

 

shutterstock_311568947

A vida moderna é cheia de preocupações e o equilíbrio financeiro é um assunto que suga energia de muitas pessoas. Equilibrar as contas nesses tempos de crise na economia não tem sido fácil, ainda mais com demissões, redução de renda etc.

Mas, um fato bem negativo silencioso vem prejudicando milhões de brasileiros mundo afora e passa despercebido por muitas pessoas. É a questão do empobrecimento de muitos consumidores (no geral, pessoas mais idosas) que a décadas gostam de aplicar na caderneta de poupança e se recusam a migrar para novos produtos ou têm dificuldade de entender novos produtos financeiros, que protegem o consumidor da inflação, como o tesouro Direto e o CDB.

Segundo a Revista Exame, de acordo com as regras de remuneração da poupança, sempre que a taxa básica de juros (Selic) for menor ou igual a 8,5% ao ano, a poupança rende 70% da variação da taxa Selic durante o período do investimento mais a TR. E sempre que a taxa Selic for superior a 8,5% ao ano, como é o caso agora, a poupança rende 0,5% ao mês (o equivalente a 6,17% ao ano) mais a TR.

Bem, pensem bem, a caderneta de poupança está remunerando o dinheiro árduo de décadas de pessoas idosas e de famílias inteiras a 6,17% ao ano mais TR (que não é quase nada) enquanto a inflação real é quase o dobro disso.

E a inflação real (não a do governo, mas a perda efetiva da capacidade de consumir ) é superior a 10% ao ano. Apenas pra comparar, um índice que os bancos usam para remunerar o curso do dinheiro é a a Taxa Selic, que hoje está em 14,25% ao ano (valor muito superior ao que é pago na caderneta de poupança).

O que pode ser feito para aquelas pessoas que pretendem continuar a investir quantias no longo prazo ? Você pode “estancar” essa perda de dinheiro deixando a maior parte de seu investimento em aplicações que o protegem mais da inflação (Tesouro Direto, CDB – alguns gostam de LCI e LCA também) e uma parte menor, que você movimente com mais frequência, você deixa na caderneta de poupança por conta da simplicidade do seu uso.

Agora, fique atento, se você deixar grandes quantias na caderneta de poupança ao longo dos anos, pode ser que em dez quinze anos depois elas sejam reduzidas à valores surpreendentemente menores do que valem hoje por conta do dragão (inflação).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *